ÍNDICE

Capa

Turismo
Passeio Virtual
Como chegar
Monte seu pacote
Dicas de viagem
Reservas online
Guias de Turismo

Fotos 360 Graus
Veja as fotos do Festival

Galeria dos visitantes
A feirinha local
Web Cam diária

Serviços
Hotéis
Restaurantes
Comércio local
Agência na Chapada

Participe
Histórias de viagem
Links sobre a Chapada

Textos sobre a Chapada

Contato
E-mail
Assine nossa newsletter

A Teoria Mística de Chapada dos Guimarães

Jorge Belfort Mattos Jr.

 

Existem uma série de fatores que fizeram de Chapada dos Guimarães um dos pontos de atração de místicos do mundo inteiro. O paralelo 15 graus sul, passa pôr regiões que seriam beneficiadas energéticamente, e, segundo as profecias de Dom Bosco, nasceria a civilização perfeita, aquela talvez, almejada no terceiro milênio, ou na era de aquário, justamente o alinhamento das cidades de Porto Seguro, Brasília, Chapada dos Guimarães e o Lago Titicaca no alto da Cordilheira dos Andes.

Este fluxo eletromagnético, associado ao "corredor Bivac"(um corredor eletromagnético),que passaria pôr esta região, possibilitaria às pessoas iniciadas um maior contato com os elementais e seres de outras dimensões. Dizem existir sobre Chapada um buraco que permitiria a passagem de ondas cósmicas que normalmente não chegam à superfície.

A Chapada dos Guimarães possuí uma paisagem exótica, sua vegetação é o cerrado (a savana brasileira) e a maior concentração de plantas medicinais pôr quilômetro quadrado. Situa-se sobre uma das mais antigas placas tectônicas do planeta, e é, a borda do Planalto Central Brasileiro, com uma paisagem ruiniforme que reúne várias era geológicas estampadas em sua paisagem, desde há 500 milhões de anos quando havia uma grande camada de gelo sobre a região, há 300 milhões de anos quando foi fundo de mar, há 150 milhões, o mar cedeu lugar a um deserto que cobriu toda a região, e há 64 milhões de anos quando uma densa vegetação servia de alimentos aos animais pré-históricos (os dinossauros) até serem extintos. Há 15 milhões de anos temos a modificação mais marcante na paisagem, com o surgimento da Cordilheira dos Andes, a região onde hoje é a Planície Pantaneira, afundou, criando então a borda da Chapada com uma diferença de altura vertical de mais de 350 metros. Em um passeio é‚ possível observar na paisagem as marcas deixadas no arenito, achar fósseis de conchas do mar até‚ hoje preservadas na argila ou na hematita (uma rocha negra ferrosa), observar as dunas do antigo deserto preservadas pelo arenito bem visíveis na região do Portão do Inferno, ou até‚ mesmo as inscrições pré históricas deixados em alguns dos 46 sítios arqueológicos cadastrados pelo IPHAN.Existe uma antiga estrada pré colombiana que passa pela região que liga a América Central cruzando a Cordilheira dos Andes em direção ao Brasil Central cruzando o país de noroeste a sudeste.

O clima de Chapada é surpreendente, principalmente para quem sai de Cuiabá distante apenas 74 Km., a temperatura torna-se muito mais amena pôr causa da altitude que fica pôr volta de 800 metros acima do nível do mar, criando uma circulação de ar formando uma espécie de bôlha com as nuvens subindo iluminadas pôr baixo durante o pôr do sol.

A hidrologia é especial, tamanha a quantidade de nascentes, até‚ no alto do morro São Jerônimo, um dos mais altos de Chapada, há uma nascente de água de excelente qualidade. Na cidade, engarrafa-se e distribui-se para toda a região. O maciço montanhoso é o divisor de águas entre as Bacias Amazônica e do rio da Prata, sua formação básica é o arenito sedimentar com a presença de quartzos leitosos, hematitas, ardósias, e a pedra "canga" uma formação laterítica criada pela oxidação do ferro, além de ouro, diamantes e outras rochas que ajudam as emanações telúricas.

Estas condições fazem de Chapada um local que possibilitam às pessoas um contato direto com a natureza, auxiliando o desenvolvimento sensitivo e espiritual, e quem sabe, despertando para uma consciência menos egoísta e mais planetária.